Água

Entenda os Parâmetros

Parâmetros Realizados pelo SAAE Itaguara

Cloro Residual Livre (mg/L)
A quantidade de cloro presente na água tratada é denominada de cloro residual livre e é de extrema importância na inibição do crescimento bacteriano, agindo como uma garantia de desinfecção nos reservatórios e ao longo da rede de distribuição.

pH
Parâmetro que estabelece a condição ácida ou básica da água. Estas alterações naturais advêm da presença de ácidos carbônicos e húmicos dissolvidos. As maiores alterações no pH são provocadas por despejos industriais e águas residuárias de minas.

O conhecimento do potencial hidrogênico iônico de uma água permite o monitoramento do poder de corrosão, da quantidade de reagentes necessários à coagulação, do crescimento de microorganismos, do processo de desinfecção que tem finalidade de reduzir o nível dos microorganismos e se a água, em relação ao pH, se enquadra dentro das legislações pertinentes.

Turbidez (NTU)
Mede a resistência da água à passagem da luz. É uma característica das águas correntes, podendo aumentar nos períodos chuvosos. Em águas dormentes apresenta geralmente valores baixos.

Decorre naturalmente da presença de material em suspensão, plâncton, microorganismos, argilas e siltes nas águas. Sua principal fonte é o aporte de partículas de solo provenientes da bacia hidrográfica, em função de desmatamentos, processos erosivos e atividades de mineração. Pode também advir do lançamento de efluentes que contenham material fino.

Cor Aparente (uH)
A cor tem sua origem natural em águas superficiais no contato com resíduos orgânicos, tais como folhas, fragmentos de madeira, etc., materiais estes que contem extratos vegetais como tanino, ácido húmico e humatos. Substâncias metálicas como o ferro e o manganês também causam cor.
A sua origem não natural se dá por despejos de produtos químicos orgânicos e inorgânicos oriundos de tinturarias, fabricas de papel, de explosivos, resíduos domésticos, mineração refinarias de petróleo e outros.

Flúor (mg/L)
O flúor é um elemento químico adicionado à água de abastecimento, durante o tratamento, visando à prevenção da cárie infantil. A concentração considerada ótima para que se tenha a proteção contra cáries é de 0,7 mg/l. Por isso, procura-se manter no tratamento da água uma dosagem que varia entre 0,6 e 0,8 mg/L. Teores excessivos de flúor na água, acima de 1.5 mg/l, não podem ser mantidos por longos períodos na água, em virtude do risco de causar uma alteração nos dentes, que se tornam amarelados e manchados. Essa alteração é conhecida como fluorose.

Coliformes totais/Coliformes fecais (P/A)
O grupo de bactérias determinado coliformes totais são aquelas que não causam doenças, visto que habitam o intestino de animais mamíferos inclusive o homem.

As bactérias do grupo coliforme são consideradas os principais indicadores de contaminação fecal. O grupo coliforme é formado por um número de bactérias que estão associadas com as fezes de animais de sangue quente e com o solo. O uso da bactéria coliforme fecal para indicar poluição sanitária mostra-se mais significativo que o uso da bactéria coliforme “total”, porque as bactérias fecais estão restritas ao trato intestinal de animais de sangue quente. A determinação da concentração dos coliformes assume importância como parâmetro indicador da possibilidade da existência de microorganismos patogênicos, responsáveis pela transmissão de doenças de veiculação hídrica, tais como febre tifóide, febre paratifóide, desinteria bacilar e cólera.

Bactérias heterotróficas (UFC/mL)
A atividade decompositora das bactérias (bem como a dos fungos) permite que a matéria orgânica presente nos organismos mortos seja transformada em matéria inorgânica, como os sais minerais, que são liberados no ambiente e podem ser absorvidos por uma planta. Assim, as bactérias decompositoras contribuem para a reciclagem da matéria na natureza. A importância da determinação da densidade de bactérias tem em vista que um aumento na população bacteriana pode comprometer a detecção de bactérias do grupo coliformes. Apesar da maioria das bactérias heterotróficas não ser patogênica, pode representar riscos a saúde, como também deteriorar a qualidade da água, provocando o aparecimento de odores e sabores desagradáveis12.A portaria nº518 de 2004 do Ministério da Saúde determina a contagem mensal de bactérias heterotróficas em sistemas de distribuição e limita a contagem destas em 500 UFC/mL11.

Ferro (mg/L)
padrão: máximo 0,3 mg/l. A presença de ferro na água distribuída é devida, normalmente, à dissolução do ferro das tubulações. O excesso de ferro proporciona desenvolvimento de certas bactérias que, decompondo-se, provocam gosto e sabor desagradáveis à água.

O excesso de ferro é tóxico e provoca vômitos, diarréia e lesões intestinais.

Manganês (mg/L)
padrão: máximo 0,1 mg/l. Ocorre freqüentemente em águas superficiais, geralmente associado ao ferro, como resultante da decomposição de vegetais e matéria orgânica. As águas ricas em manganês turvam-se ao serem expostas ao ar, devido a formação de óxidos e hidróxidos, mancham os tecidos e as instalações sanitárias. Além disso, deposita-se na rede de distribuição e reservatórios domiciliares, alterando a qualidade organoléptica da água. A exposição excessiva ao manganês provoca efeitos tóxicos ao nível do sistema nervoso central, respiratório, cardíaco e reprodutor.

Alumínio (mg/L)
padrão: máximo 0,2 mg/l. O alumínio é um elemento químico que aparece nas águas de abastecimento, como resultante do processo de coagulação quando se emprega o sulfato de alumínio durante o tratamento, para remoção da sujeira da água.O alumínio também é amplamente encontrado nas rochas e minerais, como também em frutas e vegetais. O excesso de alumínio no organismo provoca constipação intestinal, cólicas abdominais, anorexia, cefaléia, esquecimento, distúrbios de aprendizado, hiperatividade, crises convulsivas, falta de coordenação motora, demência pré-senil, diminuição das funções hepáticas e renais.

Temperatura (°C)
A temperatura influencia processos biológicos, reações químicas e bioquímicas, caracterizando outros parâmetros como a densidade, viscosidade e pressão de vapor do meio líquido. É inversamente proporcional a solubilidade de gases dissolvidos e diretamente proporcional a solubilidade de sais minerais. Varia naturalmente nas águas de acordo com a temperatura do ar.

© 2019 Itaguara . TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.